OS GRANDES PROBLEMAS DA HUMANIDADE

E A SUA SOLUÇÃO

3

(Vai sendo inspirado pelo MRC)

Índice

Introdução - O Traço comum a todos os Problemas

Capítulo I - A Atitude Católica subjacente à Vida na Terra

Capítulo II - O Porquê do falhanço global de todas as formações políticas

Capítulo III – A Nova forma de olhar a liderança dos Povos e das Nações

Capítulo IV - A Missão do Exército Terrestre de Maria a partir do Aviso de Garabandal e o MRC

Capítulo V - A Enunciação dos Principais problemas e a sua resolução no quadro de uma Fase de Transição para os Novos Céus e Nova Terra

(Acrescentado em 24 de Janeiro de 2002, daqui…)

O Aborto + A Comunhão na mão + O Divórcio + A Homossexualidade e a Sida + A Pedofilia + A Prostituição + A Pornografia + A Televisão e outros "medias" imorais + A Droga + A Fome + A Guerra + A Corrupção + O Desemprego + A Criminalidade e a Insegurança + Os acidentes de viação + O Urbanismo descontrolado + Os Bairros de lata e Bairros degradados + As Discotecas e Boîtes + As Forças militares e da ordem + Os Quartéis + Os Presídios + A Administração Pública + As Migrações + A Cooperação Internacional + O Trabalho feminino e infantil + A Saúde e a Assistência Social + O Ensino + O Desporto + O Dinheiro

  Capítulo VI - Os Novos Céus e Nova Terra

 

Introdução - O Traço comum a todos os Problemas

Quando Deus criou o mundo achou "bom". E quando criou o homem achou "muito bom".

Até aqui não havia problemas.

Depois veio a mulher que tentou o homem a comer o fruto da árvore proibida. Ambos desobedeceram e comeram. Aí foi cometido o primeiro pecado, e ambos se esconderam de Deus, tiveram receio e vergonha de se aproximarem de Deus. Parecia-lhes que era mais seguro ficarem longe de Deus do que se aproximarem dEle.

Foi aqui que começaram os problemas.

A desobediência provocou no homem o instinto de se afastar de Deus, e esse mesmo afastamento, manteve vivo o instinto de desobediência a Deus. Afastamento e desobediência a Deus, coabitam e alimentam-se mutuamente. Assim se manteve este casamento diabólico, instigado e levado a cabo pelo próprio diabo, desde então e até os presentes dias.

A este casamento diabólico apadrinhado pela antiga serpente, actualmente conhecida por demónio ou satanás, convencionou-se chamar pecado. Foi o pecado que trouxe todos os problemas à humanidade, porque se o homem não desobedecesse a Deus, que é Vida, naturalmente se manteria afastado do demónio, que é morte. À medida que o homem se aproxima de Deus, os problemas diminuem, e à medida que ele se aproxima do demónio, eles aumentam.

Podemos, pois, afirmar que o pecado é o afastamento e desobediência a Deus, e que é ele o causador de todos os problemas do homem enquanto indivíduo, e da humanidade enquanto Criação de Deus.

O facto do homem julgar que pode viver sem Deus e afastado dEle, só faz com que os homens se afundem cada vez mais, levados pelo pai da mentira, o demónio, que os leva a orgulhosamente a se afundarem. E quanto mais se afundam, ainda mais se afastam de Deus, porque o orgulho, cegando-os, leva-os a atirarem as culpas nEle.

Baseados na afirmação de Jesus, em que Ele afirmou ser a Luz do mundo, e à semelhança dum luzeiro, podemos concluir que quanto mais nos afastamos de Deus, maior é a escuridão e mais se adensam as trevas, e consequentemente menos conseguimos ver à nossa volta.

João 8,12

Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.

Se quisermos sair das trevas, para conseguirmos vislumbrar a solução para os nossos problemas, temos, pois, de nos reaproximar de Deus.

É esta equação tão simples e perfeitamente linear, que a humanidade por orgulho e cegueira, não quer admitir como verdadeira.

Jesus também disse:

Lucas 6,39

E propôs-lhes também uma parábola: Pode porventura um cego guiar outro cego? Não cairão ambos numa cova?

A humanidade está cega e é guiada por cegos, sendo estes últimos, os actuais políticos.

A humanidade no seu todo, comporta-se como um corpo, em que um qualquer mal num dos seus membros, provoca mal estar em todo o corpo, podendo levar à própria morte. Veja-se um pequeno golpe num dedo, que pode infectar, provocar febre e mal estar em todo o organismo, e se não for tratado, pode gangrenar e levar à própria morte. Para evitar a morte, tem-se que optar muitas vezes pela amputação do membro, sempre doloroso, mas imprescindível para evitar a morte.

Temos de aceitar esta Verdade: Todos os problemas da humanidade advém do seu afastamento de Deus. Se a humanidade quer resolver os seus problemas, terá de se voltar novamente para Deus e caminhar para Ele, entrar em união com o seu Criador. Aproximando-se de Deus, que é a Luz e a Vida, recuperará o Estado inicial em que foi criado e no qual era destinado a viver. Deus criou-nos para sermos sãos e felizes, e foi o homem que negou este estado de coisas, através do seu afastamento de Deus.

Se analisarmos cada um dos problemas do homem, em cada um deles vamos encontrar um denominador comum: O Afastamento de Deus, uma vida sem Deus, um estado permanente de desobediência, ou seja, uma vida de pecado. Pecado é sinónimo de afastamento de Deus. Tudo o que nos afasta de Deus é pecado.

Tal como num corpo, já vimos que cada homem é corresponsável e solidário pelos seus actos, e o que um faz de mal, se reflecte em todos os outros. Mas há uns mais responsáveis que outros, pelos males da humanidade. Haverá mesmo uns, que serão quase que exclusivamente vítimas sem responsabilidade.

Quem são os principais responsáveis? – Os governantes, os ricos e os poderosos.

Quem são as vítimas? – Os governados ignorantes, os pobres e os oprimidos.

Governantes sem Deus, provocam problemas, dor, sofrimentos e morte.

O homem que sofre e desespera, é aquele que vive sem Deus na sua vida.

A humanidade sofre, porque vive sem orientar a sua vida pelas leis de Deus.

A ausência de Deus, que é Vida, é a causa da morte, da dor, dos sofrimentos, da doença, numa palavra, é a causa de todos os problemas.

 

Capítulo I - A Atitude Católica subjacente à Vida na Terra

Católico é todo o baptizado por um sacerdote da Igreja Católica, Apostólica, Romana, e que vive no seu coração e a sua vida de acordo como os ensinamentos de Jesus Cristo, cumprindo com os mandamentos da Lei de Deus e da Igreja Católica, seguindo os ensinamentos da Doutrina e da Tradição da Igreja de Cristo, e que é fiel ao Papa João Paulo II e aos bispos a ele unidos. Tudo isto, cheio de amor a Deus e ao próximo.

Infelizmente, hoje em dia, os que se dizem católicos são muitos, mas na verdade, são muito poucos.

Todo o homem é criatura de Deus, mas só se torna Seus filho, com o Sacramento do Baptismo. Mas, depois de ser filho de Deus, pode-se tornar filho do diabo, por um acto livre da sua vontade, vivendo e praticando a injustiça e não seguindo os ensinamentos de Jesus Cristo e da Sua Igreja. Ora, é óbvio, que um filho do diabo, não é católico. Foi católico, talvez em tempos idos, mas já não o é.

1João 3,10

Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem o que não ama a seu irmão.

Quando eu falo pois de católicos, falo daqueles que o são, conscientemente, de coração, dispostos a darem a sua vida em defesa da sua Fé e da sua Igreja, tal como o fizeram os mártires ao longo da história.

Deus é Amor. O católico, é aquele que, em primeiro lugar, ama, e depois é que vem o resto. Católico é aquele que aprendeu de Deus, enquanto Verbo e enquanto Homem. O Católico é o que vive segundo a Sabedoria Divina, que pode ser colhida nas Sagradas Escrituras. O Católico é o que estuda, aprende e põe em prática a Sabedoria Divina contida na Bíblia, pois é lá que se encontra toda a Verdade que o homem necessita para a sua Salvação Eterna. O Católico é o que põe em primeiro lugar o Amor, Amor a Deus, e ao próximo por Amor a Deus. É obrigação dos católicos amar os seus irmãos em Cristo, porque foram feitos à imagem e semelhança de Deus, que é Amor.

1João 4,16

Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele.

O Católico é aquele que sabe que só pode aprender de Deus, e que só com Deus pode sobreviver e se Salvar.

É esta atitude, que o homem tem de reaprender, se quiser sobreviver e se Salvar. O homem tem de voltar a ser Católico se quiser se Salvar.

E falo em ser Católico, porque se só há um Único e Verdadeiro Deus, também só pode haver uma Única e Verdadeira Igreja, a qual Ele criou: A Igreja Católica.

O Papa João Paulo II já foi muito claro sobre este assunto. Por isto, existe o verdadeiro e o falso ecumenismo, e chegou o tempo, de que a irmã Lúcia falou:

"Quem quiser estar com Deus, tem de estar com o Papa João Paulo II, e quem não estiver com ele, não poderá estar com Deus".

Muito recentemente o Papa João Paulo II afirmou, no discurso doa ida 6 de Março, no Encontro com a Academia Pontifícia para a Vida:

A «cultura da vida» baseia-se em três valores fundamentais, sem os quais «não se pode ter una sociedade sã nem garantia de paz e justiça»: A defesa da vida desde a sua concepção até à morte, a promoção da família e a tutela do ambiente.

Quando falo em se Salvar, penso evidentemente em se Salvar para a Vida Eterna, na Glória de Deus, junto a Ele. Quem não se salvar, perderá a sua alma para a morte eterna, na companhia do seu pai espiritual, o demónio, a quem abraçou e seguiu na sua vida terrena, e que depois desta vida, quis seguir na outra.

Muitos, enganados pelo demónio, hoje em dia dizem que todas as religiões são diferentes visões ou facetas de Deus. Eu afirmo o contrário: Todas as outras religiões são diferentes visões do demónio e do inferno, pois todas elas, numa dada altura da história humana, foram por criadas por ele, o pai da mentira. Por isto é que Jesus disse para irmos pregar a Sua Palavra pela Terra inteira e a todos os Povos.

Estes assuntos são expostos com clareza e mais em profundidade no GPS no Capítulo II - 9 - As grandes intervenções do demónio na história da humanidade e a criação de falsas religiões

O fulcro da Salvação Eterna, está pois em ser Católico, de alma e coração.

Não nos esqueçamos, de que no Céu só há Católicos.

À primeira vista, esta verdade horrorizará muitos não católicos e católicos não praticantes, ou falsos católicos, por não quererem admitir, por orgulho, ignorância e cegueira, esta dura e verdadeira realidade. Esta afirmação não é sinónimo de que só os Católicos se conseguem salvar. Não é sinónimo de que membros de outras religiões não se conseguem salvar. O que aquela afirmação diz, é exactamente o que lá está escrito, que para entrar no Céu é preciso ser Católico, nem que a sua conversão seja feita no Purgatório. Penso que mesmo aqueles cuja primeira atitude seja de espernear contra aquela afirmação, concordarão de que certamente não haverá no Céu almas a adorarem falsos deuses, outros deuses que não a Santíssima Trindade. Por isso, digo e repito, que quando uma alma, depois de passar pela purificação do Purgatório, entra no Céu, já estará absolutamente convertida ao Catolicismo.

O fulcro da Salvação e de resolver todos os problemas que afligem a humanidade, está pois em ser Católico, de alma e coração.

O Católico só pensa em amar a Deus e ao próximo, em dar-se completamente a Deus e ao próximo, e sacrificar-se por Deus e pelo próximo, tal como Jesus fez toda a Sua Vida, em estrita obediência à Vontade do Pai.

O Católico só pensa em cumprir a Vontade e o Plano que Deus Pai tem para cada um.

Como é que se descobre a cada momento esta Vontade e este Plano de Deus? Descobre-se e cumpre-se a Vontade de Deus, através da Sua Palavra, através das Sagradas Escrituras, as quais foram todas inspiradas pelo Espírito Santo. São Pedro disse:

João 6,68

Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens palavras de vida eterna.

Descobre-se que, para vivermos em união com Deus, só é possível através do recurso aos Sacramentos que Jesus deixou na Sua Igreja. A única forma de termos a Vida em nós, depois do Baptismo, só é possível através da Confissão e da Eucaristia. Sem a Eucaristia, não há Vida no Homem. Foi Jesus quem o afirmou em Cafarnaum:

João 6,56

Quem come a Minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e eu nele.

Por esta razão, o demónio quer destruir a Eucaristia e a Igreja Católica.

Por esta razão, o Católico tem de defender a Eucaristia e viver dentro da Igreja Católica, se quiser a Salvação Eterna.

 

Capítulo II - O Porquê do falhanço global de todas as formações políticas

Quando os homens lutam pelo poder e chegam a ele, conseguem o que queriam, tal como Adão ao comer o fruto proibido. E aí passa-se a mesma coisa, afastam-se de Deus, entram nas trevas e perdem a visão da Verdade. Mas na posse do poder, apodera-se deles o orgulho, que é o pai de todos os pecados. A partir daí, vão de queda em queda, cada vez se afastando mais de Deus. Os problemas vão-se acumulando, e sem Deus, que já está longe e fora de vista, não têm solução para eles.

Na luta pelo poder, os homens lutam uns contra os outros, utilizando todos as mesmas armas, o ódio e o egoísmo, as mentiras e as falsas promessas. Todos os diferentes grupos, julgando terem poder, esquecem-se do verdadeiro poder, aquele que vem de Deus. Julgando-se grandes por terem conquistado o poder, esquecem-se da única Sabedoria Verdadeira, a de Deus. Sem a Sabedoria Divina e sem o poder de Deus, todos caiem nos mesmos erros e nas mesmas fraquezas. O erro de se julgarem sábios, e a fraqueza de se julgarem fortes.

Aos homens que se batem pelo poder temporal, só interessa o poder, e não o bem comum. Por isso, não adoptam soluções que resolvam os problemas dos povos, mas sim, as que satisfaçam as suas ambições e a manutenção daquilo por que se bateram.

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 26 de Junho de 1999

"Ajudar o seu irmão, sim, isso é bom, e Eu mostrei o exemplo, mas o equilíbrio rompe-se, logo que as intenções daquele que dá e/ou daquele que recebe não são puras. Se há o mínimo pensamento de se aproveitar do outro, a harmonia quebra-se e os problemas surgem."

Quantas vezes já vimos os políticos, de todas as formações e de todas as ideologias discutirem os problemas que afligem a humanidade, e nunca os conseguiram resolver. Porquê? Porque buscam as soluções onde elas não estão. Porque buscam as soluções com a sabedoria dos homens, que é loucura aos olhos de Deus.

1Coríntios 3,19

Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus.

Sem a Sabedoria de Deus, caiem na loucura dos homens. Eles próprios, senhores do poder, só dão aos governados o que convém para manterem o poder, ou seja, manter os governados longe e ignorantes das coisas e da Sabedoria de Deus. Assim, são poderosos, mas cegos, guiando cegos, fracos, divididos e ignorantes.

A maçonaria - Os nossos governos, todos maçónicos, pois todos os seus membros pertencem à maçonaria, descaradamente ou ocultamente, orgulhosamente referem à frente das câmaras, que são laicos, ou seja, de que não levam Deus em conta, quer nas suas vidas quer nas suas decisões. Elogiam-se orgulhosamente como pavões cegos. Pensando se colocarem num plano superior aos dos governados, estão assinando a sua própria sentença de morte, pois aliando-se ao pai da mentira e da morte, o diabo, ele, o pai espiritual deles, virá buscá-los muito em breve para os levar para o inferno. Ai daqueles que não se arrependerem muito em breve!

E para manterem os governados sob a sua patorra, mantêm-nos na ignorância do que se passa nas lojas maçónicas, onde se desenrolam as suas cerimónias iniciáticas, e onde se tomam, de facto, as decisões que orientam os governos das nações, as grandes golpadas, as grandes cabalas.

Só assim, conseguem manter o poder, e através dele, o dinheiro, e através deste, os prazeres do mundo.

A prova de que as formações políticas lutam pelo poder e não pela solução dos problemas da humanidade, é de que lutam entre si, em vez de se unirem, para em conjunto conseguirem debelar o mal e resolverem os problemas graves que afligem e humanidade. Da luta pelo poder, vem a divisão, em vez da união, tão desejada por Deus. Jesus disse:

João 10,19

E haverá um só rebanho e só um pastor.

Mas em vez disto, o que temos? Os homens divididos e se guerreando uns contra os outros.

A solução está pois na Paz, e não na guerra. A solução, está pois na União e não na divisão.

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 26 de Junho de 1999

"Esforçai-vos de amar o outro, apesar de tudo, mas não creiais de resolver as dificuldades sem Mim. Sem a Minha Paz, vós tereis sempre a guerra e a violência."

Para conseguir a União, temos de nos voltar para Deus, e seguir os seus ensinamentos. Para conseguirmos a Paz, temos de amar, a Deus e ao próximo, abandonando as armas que matam, e voltarmo-nos para as armas que salvam, a Oração, única forma de nos unirmos a Deus.

Esta é a Missão de todo o Católico, não só no campo espiritual, mas também no campo material e temporal.

O próprio Concilio Vaticano II, do qual saíram tantas e tão más interpretações, defendeu esta acção do Católico no campo Temporal. O próprio Papa João Paulo II, defende o papel que os Católicos têm que desempenhar no campo Temporal.

O Católico tem um papel a desempenhar no campo político, não utilizando as mesmas armas que os habituais maus políticos. Não se batendo, como os outros, para chegar ao poder. Mas sim, lutando com Amor, pela Paz, e com a Sabedoria Divina, para resolver os problemas graves e para se atingir o bem comum, sem excepção, de todos os cidadãos. Assim fazendo, a liderança chegar-lhe-à às mãos, não por plebiscito humano, mas sim, por dádiva de Deus. Será uma liderança sem poder e sem protagonista, porque o verdadeiro Católico, anula-se por completo, para sendo nada, ser Jesus tudo nele. Assim, já não será o Católico a mandar, mas o próprio Deus a exercer a Sua Vontade, que é a de dar Vida, e Vida em abundância, tal como Jesus o prometeu:

João 10,10

Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.

Esta é a nova visão que tem de ter o homem actual. Sem ela, condenar-se-à.

 

Capítulo III – A Nova forma de olhar a liderança dos Povos e das Nações

Jesus ensinou a Santa Brígida uma oração em que se pede a união ao Pai Eterno:

Orações de Santa Brígida

"… pela unidade de todos os povos em Cristo e na Sua Igreja,…"

Ora, se Jesus nos ensina a pedir isto a Deus Pai, é porque Ele o acha bom, e precisa da nossa ajuda para o atingirmos. Se não necessitasse da nossa ajuda, não nos dizia para o pedirmos, pois podia pura e simplesmente no-la dar. É através da súplica a Deus, que o homem atinge tudo o que necessita para seu bem e para a sua Salvação. É através da aceitação da nossa nulidade que alcançamos o nosso verdadeiro ser de criatura de Deus. Ao nosso Criador tudo devemos, e só dEle tudo podemos alcançar.

O poder, não é coisa pela qual se lute, mas sim, é coisa de Deus, que pedimos que se exerça com Misericórdia Divina, sobre todos e cada um de nós. O Poder, só o de Deus, não o nosso! O nosso poder, só gera a divisão, ao passo que o dEle, gera a União. O nosso gera a guerra, e o dEle, a Paz. O nosso, gera o ódio, e o dEle, gera o Amor.

Só assim alcançaremos a unidade que Jesus ensinou a Santa Brígida que suplicássemos a Deus Pai. A Unidade de todos os Povos em Cristo e na Sua Igreja.

Por esta mesma razão, A Virgem Maria veio nos dizer nas Suas Aparições de La Salette, que:

La Salette

"Os novos reis serão o braço direito da Santa Igreja, que será forte, humilde, piedosa, pobre, zelosa e imitadora das virtudes de Jesus Cristo".

Temos de nos bater pela implantação deste reino na Terra, que não é mais do que o Reino de Jesus, que será Ele a implantar, mas para o qual pede a nossa colaboração.

Jesus, nas Suas Mensagens à Agnès Marie afirmou:

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 19 de Junho de 1999

"Vós Me ajudareis de um ponto de vista "político" que não saberá estar separado dos outros. A divisão, é Satanás; Eu, sou a Unidade.

Então o "político" deve estar unido aos outros aspectos da vida humana, da mesma forma que não saberia ser excluído. Eu explico-Me: Quando Eu falo do aspecto "político" da vida, Eu entendo política no sentido de que é necessário um enquadramento (o que vocês chamam instituições) das sociedades humanas para fazerem progredir o mundo. É necessário instâncias direccionais, e se elas são santas, o planeta será santificado em pouco tempo (aos olhos de Deus que vive na eternidade!). É sempre por "cima" que se atingem as evoluções positivas! Cabe a alguns educar, de elevar os outros; e não de praticar o "nivelamento por baixo" como vocês o fazem nas vossas sociedades franco-maçónicas.

Então, se alguns sonham com lugares de honra pelo dinheiro e amor ao poder, eles estão completamente errados. Não. Eu preparei algumas almas para assumirem o papel de ligação de Deus sobre a Terra, comunicando-me a elas, em lhes dando a Minha visão do mundo e o Amor de Deus e o Amor de Me servir, por Amor dos seus irmãos. Alguns têm uma consciência que não ultrapassa a da sua própria pessoa, e outros têm acesso à visão de Deus sobre os mundos e os universos, o que os torna capazes, comigo e por Mim, de ajudar os seus irmãos e de levarem o seu mundo em direcção a Mim.

Fazer entrar a Terra dentro do Meu Sagrado Coração, eis a missão que Eu vos dou, que é o desejo que Eu meti na vossa alma quando vos criei. Eu vos tornei servidores. E esse desejo de servir, fui Eu que o meti em vós, para a Minha glorificação e vossa justificação."

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 25 de Junho de 1999

"Certos lugares estão ainda vagos, eles são para aqueles da vossa época. Vós tereis os vossos no Meu Reino se vós cumprirdes fielmente a vossa missão que é de Me servir sobre a Terra para a conduzir toda inteira a acolher o Meu Reino. Vós não podeis falhar porque Eu estou convosco e o que Eu vos peço, serei Eu a fazê-lo através de vós.

Eu salvarei a Terra e todos aqueles que quiserem ser salvos."

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 9 de Agosto de 1999

"Sobre vós repousa a Minha Obra de conversão dos corações e o estabelecimento de um governo dos povos que esteja em completa adequação com todos os preceitos evangélicos dos Meus Discípulos, e que a Minha Mãe, por muitas vezes, recomendou nas Suas Aparições e sobretudo no Seu Movimento Sacerdotal Mariano. Nós devemos santificar as Instituições para levar os povos e redescobrirem e a viverem a sua vocação de crianças de Deus, à santidade e à adoração de seu Pai, Deus de toda a humanidade."

A luta que temos de travar, é também uma luta temporal, no campo social e político, mas de uma natureza nova e diferente da actual.

Mensagem de Jesus à Agnès Marie, em 4 de Setembro de 1999

"- Sim, Eu quero fundar convosco um núcleo do Movimento de Amor do qual tu leste no livro da Manduria e um partido "político". Este partido é o Movimento do Cristo, um Movimento de conversão dos corações que tem uma responsabilidade sobre a cena política nacional e internacional, a fim de combater a franco-maçonaria que investiu todos os partidos actuais de representarem os cidadãos. Abri os olhos e vede como eles vos manipulam! Nenhum se preocupa da vossa vida eterna que é o único fim real da vossa existência e que vos pede de aprenderdes a amar."

É este Reino de Amor que temos de começar a construir nos nossos corações e a ampliar para o nível nacional e internacional.

A Igreja de Cristo, a Igreja Católica, já está praticamente implantada em todos os países do mundo. Tem uma vantagem sobre todas as outras instituições, com a qual não conseguem competir nenhuma outra das organizações humanas. A ONU, é uma organização de todos os governos da terra, mas é microscópica com a Igreja Católica. Quando a Igreja se decidir a agir, de um dia para o outro, e através dela, o mundo será diferente. Já hoje em dia par além das consciências, já tem uma acção gigante através da Caritas, a grande e maior organização do planeta para a assistência aos povos, nas suas desgraças e nas suas misérias, consequência das más políticas desta prole de políticos maçons. Quem hoje quiser ser verdadeiramente solidário e ajudar o próximo, vítima de catástrofes deverá fazê-lo através da Caritas, pois só aí tem a verdadeira garantia de que o seu apoio chegará de facto às populações que pretende ajudar.

Para conseguirmos este objectivo, lutemos por uma Constituição "política" que possa servir estes desígnios.

Constituição Portuguesa de Transição para os

Novos Céus e Nova Terra

Artigo 1º

Deus é o Rei, Senhor e Salvador do Povo e da Nação Portuguesa. À Santíssima Trindade, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, e pelas mãos Imaculadas da Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus e Mãe Nossa, Senhora de Todos os Povos, Corredentora, Advogada e Medianeira de todas as Graças, tudo confiamos na nossa vida terrena, haveres espirituais e materiais. Através dEla e pela Misericórdia de Deus, todas as Graças esperamos alcançar para a nossa Salvação Eterna.

Artigo 2º

Pela Vontade da Santíssima Trindade aceitamos a Virgem Maria, esta Boa Mãe, por Rainha e Senhora. Ela é a Medianeira de todas as Graças que pedimos a Deus, e que pela Sua Poderosa Intercessão, contamos alcançar.

É Esta Humilde e Poderosa Rainha que aceitamos por Guia das nossas gentes e da nossa Nação, em direcção a Jesus Cristo, Seu Filho e nosso Rei, que está prestes a voltar em toda a Sua Glória para implantar definitivamente o Seu Reino de Amor, Paz, Justiça e Felicidade em toda a Terra.

Artigo 3º

Portugal, Nação Católica, Apostólica Romana, delibera ser uma Teocracia Monárquica na qual admite a existência de um Rei, na qualidade de condutor dos trabalhos humanos conducentes a acelerar a implantação do Reino Glorioso de Jesus Cristo na Terra.

Artigo 4º

Esta Nação Portuguesa, Consagrada ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, tem por únicos objectivos os de Obedecer, Servir, Amar, Adorar e Glorificar a Deus, seu Rei e Senhor, bem como Servir e Amar a Virgem Maria, sua Rainha e Mãe. Três lemas terá: Unidade, Fraternidade e Amor.

Com esta determinação, implantará como único código (1) a cumprir, as Sagradas Escrituras, todo o legado de Jesus Cristo, na Sua Vida Terrena e em toda a Doutrina e Tradição da Igreja Católica, Apostólica Romana, que ao longo dos séculos a transmitiu até os nossos dias, e que hoje tem como guardião o Papa João Paulo II, a quem permanecerá fiel e obediente até os Novos Céus e Nova Terra. Esta Nação Portuguesa será o braço forte da Nova Igreja Nascente, humilde e pobre, constituída por todos os cardeais, bispos e sacerdotes fieis e obedientes ao Papa João Paulo II e aos seus ensinamentos e directrizes.

Artigo 5º

O Povo Português será uma comunidade humilde, orante e penitente, obediente a Deus e ao seu Rei dirigente, fiel e obediente ao Papa João Paulo II e aos seus ensinamentos, e pugnará pelo Amor, pela Paz e pela Justiça, para todos os seus membros.

O Povo Português reconstruirá a Família e a Vida Cristã, e adorará a Jesus Eucarístico.

Artigo 6º

O Povo Português pugnará igualmente para que este Reino de Transição para os Novos Céus e Nova Terra se espalhe por todo o Planeta, num nascente e verdadeiro Império de Amor, para se caminhar para uma Unidade de todos os Povos em Cristo e na Sua Igreja, para que haja em Fraternidade um só Rebanho e um só Pastor.

Artigo 7º

A única arma a usar pelo Povo Português será a Oração Humilde e de Coração, e levada a Deus pela mãos Imaculadas da Virgem Puríssima Santa Maria, Rainha e Senhora de Todos os Povos.

AMEN

X

(1) Ver Levítico, capítulos 17-19

A aceitação de coração, pelo Povo Português e de outros Povos, desta Constituição, será um passo decisivo e de gigante para ser alcançado, no campo temporal, o Reino de Amor de Jesus Cristo na Terra.

A Criação do MRC, Movimento para um Renovamento Cristão, virá trazer directrizes fundamentais para a orientação do Exército Terrestre de Maria.

Capítulo IV - A Missão do Exército Terrestre de Maria a partir do Aviso de Garabandal

 Como vimos, adoptar políticas destas, tal como expostas no capítulo anterior, é uma obrigação de todo o cristão católico, pois será o assumir em cada momento a postura apontada por Jesus e pela Doutrina da Sua Igreja Católica.

O adoptar esta postura, é colocar-se perante Deus e perante os homens, e de coração fazer o que está certo, optar por aquilo que Jesus nos ensinou a escolher, será renunciar ao egoísmo e à indiferença, será optar pela responsabilidade de viver em União com Deus e com os outros.

 O adoptar esta postura, é caminhar individual e colectivamente com amor e caridade, em direcção a Deus, cumprindo a Sua Vontade e o Plano que ele tem para connosco e para com a humanidade.

O adoptar esta postura, serve dois propósitos:

1 – Santificação nossa, através do cumprimento das Leis de Deus, da Sua Vontade e do Seu Plano. Este primeiro propósito, surge como um imperativo de consciência, operante e positivo de imediato. O desencadear desta postura tem uma consequência espiritual imediata, eficaz santificante de quem a adoptar.

2 – Obtenção para a humanidade de um modo de vida de acordo com a Lei de Deus, com a Sua Vontade e com o Seu Plano. Já este segundo propósito, não terá efeitos imediatos visíveis, pois estará dependente de uma adesão colectiva, capaz de inflectir o curso maléfico que a actual sociedade leva. Isto conseguir-se-à a diferentes escalas, dependendo do número de aderentes a cada uma das "políticas". Mas o facto de os resultados não serem de imediato visíveis, não deverá ser razão para não se adoptarem as medidas correctas, antes pelo contrário, deverá ser incentivo para as levarmos ainda mais a peito, e as divulgarmos com maior zelo, amor e caridade.

Estas medidas e esta nova forma de olhar a Acção Católica, é verdadeiramente uma Missão do Exército Terrestre de Maria.

O atingir objectivos, não estará dependente de se conseguirem lugares nos actuais órgãos legislativos e executivos das estruturas do poder. Nós não estaremos lutando por esse tipo de poder. Nós estaremos simplesmente cumprindo a Vontade, a Lei, o Plano e os Desígnios de Deus. Assim, nesta postura de humildade perante Deus, e de Amor perante o próximo, abrirse-ão as portas para Deus actuar. Chegará o momento em que, mesmo sem lugares na Assembleia da República, nas Assembleias Municipais, ou outros actuais órgãos do poder, Deus e a Virgem Maria, por intermédio da atitude do Seu Exército, conseguirá atingir e levar à prática as suas medidas. Nada, nesses momentos que se aproximam da humanidade, será capaz de impedir essa Vontade Divina para a Humanidade. Pela acção do Espírito Santo, formar-se-à no coração e na mente de cada Filho de Deus, a acção a tomar, a opção a escolher, o passo a dar. A um pequeno sinal de Deus, tudo tomará o Rumo Certo.

Desde já, temos de estar atentos às falsas doutrinas que estão sendo divulgadas, e que cada vez o serão mais, contrariando estas linhas de acção. No texto e nos objectivos até poderão soar semelhantes, mas a proveniência, nos métodos e as verdadeiras consequências serão diametralmente opostas.

Como evitar esta confusão?

- Seguir os 5 conselhos que a Virgem Maria nos deu ao longo das Suas Aparições e Mensagens, e que podem ser consultadas no GPS no Capítulo XII - 26 - As cinco armas da Virgem Maria

A Virgem Maria disse, que só não cairão na confusão, aquelas almas que se tornarem adoradoras do Seu Divino Filho Jesus Eucarístico. Muitos afirmarão adoram Jesus Eucarístico, mas fà-lo-ão de coração? Será que não adoram paralelamente outros deuses, outros falsos deuses e falsos ídolos. Este é um perigo real que ameaça a humanidade no seu todo e cada indivíduo em particular.

Olhemos um pouco mais em pormenor para este perigo, que sub-repticiamente ameaça a santidade das nossas acções.

Tudo na Natureza tem a sua medida certa, e o importante é conhecer essa medida certa e pô-la em prática. Sabemos que apanhar Sol é bom para a saúde. Mas se apanharmos Sol em demasia, queimamo-nos e podemos mesmo morrer. Beber vinho é bom e faz bem à saúde, mas se o fizermos em demasia podemos mesmo morrer. Apanhar radiações radioactivas pode curar até o cancro, mas desmedidamente, poderá rapidamente matar quem se exponha a elas. Podemos ver pois, que o desconhecimento de coisas tão simples como estas, são fundamentais para as nossas decisões serem acertadas. Tudo está, pois, dependente da frequência e do tempo que votamos a determinadas coisas e actividades. O próprio conceito de adorar, está intimamente ligado ao tempo que o homem dispõe para o fazer. E aqui estamos chegando ao próprio cerne da questão do que é adorar a Deus ou adorar falsos deuses e falsos ídolos. O acto de adoração pode ser consciente ou subconscientemente assumido, mas em qualquer dos casos, trará consequências boas ou más, consoante o que se adorou. O acto de adorar só pode ser levado a cabo através do dispêndio de tempo da nossa vida. Quem não despende tempo para adorar a Deus, não O adora. Poderá ter muitas e boas intenções, mas não adora quem não despende tempo em União com Deus, à frente da Santíssimo Sacramento do Altar. Esta será a forma mais completa e adequada, havendo no entanto outras menos eficazes e que terão naturalmente frutos também mais atenuados, mas fundamentalmente, os frutos de santificação e reparação estarão dependentes do Amor e do Tempo que despendermos no acto de Adoração.

A conclusão é pois:

Quem muito Tempo despende com Amor à frente do Santíssimo, muito Adora. Quem pouco Tempo despende com o Santíssimo, pouco Adora.

Esta noção, leva-nos directamente ao perigo para o qual temos de estar atentos: a adoração de falsos ídolos.

Podemos chegar ao pé de uma pessoa conhecida, e, faltando um pouquinho talvez à caridade, mas não faltando à Verdade, dizer-lhe:

- És um idólatra!

A reacção será, sem sombra de dúvidas, afirmar veementemente não ter de maneira alguma, falsos ídolos. Dirá: Que disparate. Então estás a ver-me a adorar um falso ídolo, um falso deus, um bezerro de ouro ou outra imagem qualquer profana?

De certeza que será isto o afirmado, com veemência, por todos. Afirmarão ainda que rezam todos os dias e que vão à igreja, e que por conseguinte não adoram de maneira nenhuma falsos ídolos.

Mas a realidade é bem diferente, pois Jesus disse que seríamos recompensados segundo as nossas obras. O que é mais importante? As palavras ou os actos? Naquela parábola dos filhos, em que um diz que vai trabalhar e acaba por não ir, e o outro diz que não e acaba por ir, com qual deles ficou o pai mais contente? O primeiro mentiu e não trabalhou, dois pecados. O segundo negou, mas arrependeu-se e foi trabalhar! É claro que o Pai tem boas razões para recompensar o segundo filho.

Com esta visão, perguntemos ao tal idólatra, com exactidão e rigor, quanto tempo ele dispõe por dia a ver televisão, quanto tempo dispõe a ver futebol, quanto tempo dispõe a ler o jornal desportivo, artigos mundanos, revistas duvidosas, a praticar desportos radicais, a jogar às cartas ou outros jogos, quanto tempo gasta a desejar ter um bruto carro, quanto tempo gasta a fazer planos para chegar a chefe no seu trabalho, no seu partido, quanto tempo gasta a fazer planos para enriquecer mais e ter acesso a todos os prazeres que lhe passam pela cabeça, e quanto tempo gasta à frente do Santíssimo Sacramento do Altar.

De facto, o resultado rigoroso a esta pergunta será aterrador. Pois na verdade, toda esta lista que enunciei, são falsos ídolos, amados e desejados, que nós construímos e aos quais votamos a maioria esmagadora do nosso tempo e da nossa vida. São esses os verdadeiros ídolos que a maioria adora, por que tem-nos sempre presentes na sua frente, desejando-os e votando-lhes o tempo precioso da sua curta vida terrena. A maioria esmagadora da humanidade, hoje em dia, é sim, de facto, idólatra e adoradora de falsos ídolos. A humanidade na sua maioria é idólatra e adora todos os falsos ídolos que enumerei. Dos mais perigosos, é sem dúvida a televisão, porque veículo sub-reptício e eficaz de tudo o que é mau para a alma. E é ali à frente da televisão que as pessoas adoram a besta. A Virgem Maria não se cansou de nos advertir de que a televisão é verdadeiramente a imagem da besta que seria adorada por toda as Nações, de que nos fala o Apocalipse. O demónio, a besta do Apocalipse, deu movimento e voz à sua imagem, e faz com que todos a adorem. Ficamos diariamente expostos à acção destruidora e pecaminosa da imagem da besta, que nos faz pecar em mil maus pensamentos, destruindo pouco a pouco, mas eficazmente, a moral do indivíduo e dos povos.

Poderemos imaginar como seria humanidade, se o tempo que cada um dedica diariamente a ver televisão, fosse dedicado à Adoração do Santíssimo e à leitura e meditação das Sagradas Escrituras?

É esta consciência que temos de desenvolver no nosso coração, de a divulgar, através da palavra e do nosso exemplo.

E voltando agora aos frutos da nossa mudança de atitude face aos problemas da humanidade, e ao perigo da confusão se instalar, nomeadamente através das mensagens divulgadas através dos actuais sofisticados falsos ídolos, adquiramos também consciência de que esses frutos só começarão a ser verdadeiramente visíveis a partir do momento em que o número dos convertidos seja de facto relevante.

A mudança e os frutos só se tornarão visíveis, depois de a humanidade ter corrigido a sua actual consciência, e ter voltado a uma moral que abandonou e esqueceu há muito tempo. Esta correcção só virá com o Aviso de Garabandal.

Este O AVISO de GARABANDAL, largamente exposto no GPS, será uma verdadeira correcção das consciências dos homens, levado a cabo pelo próprio Deus, pois será a visão das nossas vidas e do estado das nossas almas, com os próprios olhos de Deus.

Até que esse momento terrível chegue, refiro-me a cada um de nós ver com os olhos de Deus o que temos andado a fazer, temos que ir tomando conhecimento e nos mentalizando de que a mudança é inevitável e imprescindível. Com antecedência e conduzidos pelas Mensagens do Céu, temos de ir vivendo em antecipação, nos nossos corações, a mudança de vida que o Céu nos pede.

Temos de nos reunir em torno da Virgem Maria, a predestinada por Deus para esmagar a cabeça da serpente, engrossando o Seu Exército Terrestre.

Hoje, já ninguém pode negar que não foi avisado.

Não podemos esquecer que muitos são os convidados, mas poucos os escolhidos.

As dores de parto de uns Novos Céus e Nova Terra, serão extensas e dolorosas, e para se passar para o lado de lá, ter-se-á de o desejar fortemente e viver segundo os Ensinamentos de Deus e a Sua Vontade.

A Criação do MRC, Movimento para um Renovamento Cristão, virá trazer directrizes fundamentais para a orientação do Exército Terrestre de Maria.

A nossa mudança de vida não será fácil, implicará muita renúncia e esforço, oração e penitência, mas valerá a pena, pois a recompensa prometida é grande:

Novos Céus e Nova Terra.

 

Capítulo V - A Enunciação dos Principais problemas e a sua resolução no quadro de uma Fase de Transição para os Novos Céus e Nova Terra

Todos os princípios que forem enunciados neste capítulo, são para, desde já, começarem a ser vividos no coração de todo o povo de Deus, para quando chegar o momento em que Ele o determinar, serem levados à prática, quer de uma forma activa, quer passiva.

Os Governos dos Povos devem funcionar, não como defesa de determinados grupos ou de determinados interesses particulares, mas sim como defesa dos direitos de todo o cidadão. O Governo deve funcionar numa fase de transição, como mediador, rápido e eficiente de todos os conflitos e problemas que surjam na concessão dos direitos de cada cidadão, empresa ou instituição. Tudo deve continuar a funcionar como até então, suprindo o Governo e o Novo Estrado as faltas que se verificarem. Na concessão de direitos, a resposta das Instituições e do Governo, deve ser sempre SIM. Nas carências, deverá o Governo intervir e mediar para suprir as carências de toda a ordem que surgirem.

Todos os esforços nunca serão demais, para evitar que uma única alma se perca. Esta preocupação de evitar que almas se percam, devido às tentações do demónio, através de uma cultura imoral ou amoral, deverá estar profundamente enraizada no coração de cada um. Cada indivíduo e todos em conjunto devem lutar para que nenhuma das ovelhas do rebanho se perca. Esta é a obrigação de todo o pastor e de todo o Católico. Se o primeiro dever é amar a Deus e ao próximo, o segundo deve ser de lutar para que nenhuma alma se perca, e portanto nenhum esforço deve ser evitado nesta dura luta contra o mal, que só deseja a perdição de todos nós.

Quero pedir a colaboração de todos quantos julguem poder auxiliar com textos, de inspiração católica, e desejem vê-los inseridos nestas linhas, que mos enviem.

(Acrescentado em 24 de Janeiro de 2002, daqui…)

Em 10 de Janeiro de 2002, o Papa falou no Vaticano para 172 embaixadores presentes numa Recepção concedida para este efeito específico. Nesta avaliação da situação mundial, o Papa João Paulo II definiu 8 grandes princípios a serem tidos em conta, para a resolução dos Grandes Problemas da Humanidade:

1 - A defesa da sacralidade da vida humana em todas as circunstâncias, especialmente com relação aos desafios apresentados pela manipulação genética;

2 - A promoção da família, unidade básica da sociedade;

3 - A eliminação da pobreza, através de esforços para promover o desenvolvimento, a redução das dívidas, e a abertura do comércio internacional;

4 - Respeito pelos direitos humanos em todas as situações, com preocupação especial pelos mais vulneráveis: crianças, mulheres e refugiados;

5 - Desarmamento, a redução de vendas de armas aos países pobres, e a consolidação da paz após o fim dos conflitos;

6 - O combate às principais doenças, e o acesso pelos pobres a cuidados básicos e medicamentos;

7 - A protecção do meio ambiente e a prevenção de desastres naturais;

8 - A aplicação rigorosa de leis e convenções internacionais.

(… Acrescentado em 24 de Janeiro de 2002, até aqui.)

O Aborto + A Comunhão na mão + O Divórcio + A Homossexualidade e a Sida + A Pedofilia + A Prostituição + A Pornografia + A Televisão e outros "medias" imorais + A Droga + A Fome + A Guerra + A Corrupção + O Desemprego + A Criminalidade e a Insegurança + Os acidentes de viação + O Urbanismo descontrolado + Os Bairros de lata e Bairros degradados + As Discotecas e Boîtes + As Forças militares e da ordem + Os Quartéis + Os Presídios + A Administração Pública + As Migrações + A Cooperação Internacional + O Trabalho feminino e infantil + A Saúde e a Assistência Social + O Ensino + O Desporto + O Dinheiro

O Aborto

O aborto, ou interrupção da gravidez, é crime grave, perpetrado pelos próprios pais da vítima inocente, com o auxílio de um técnico assassino. Não pode ser autorizado em nenhuma fase da gravidez, e os criminosos devem ser encarcerados imediatamente em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

Para evitar este tipo de crime hediondo, o Governo deve prestar todo o apoio de toda a ordem à mãe que esteja grávida, para poder sustentar e criar o bebé que irá nascer, com tudo o que ele necessitar.

Educação deve ser dada, sobre o que Deus espera das relações sexuais, e o modo de evitar a gravidez através dos métodos consentidos pela moral católica. Os pais deverão aconselhar os filhos sobre o namoro, e evitar todas as facilidades que hoje têm sido dadas, acompanhando-os e vigiando para que as relações pré-matrimoniais não se dêem.

A Santificação do namoro e das relações entre sexos diferentes, trará em si a semente da erradicação definitiva do aborto.

A Comunhão na mão

Os Sacerdotes da Igreja Católica voltarão a dar a Comunhão na boca dos fieis e de joelhos, tal como é vontade de Deus e foi Tradição da Igreja até ao desencadear da apostasia. A Comunhão será dada durante a Eucaristia só por Sacerdotes. Os Ministros Extraordinários da Comunhão deverão ser homens e só poderão exercer a sua função de levar a comunhão a doentes, idosos ou reclusos, na inexistência de Sacerdotes ou Diáconos. O rito Litúrgico da Santa Missa, deverá voltar a ser o de 1963, anterior ao Vaticano II.

Ver O Flagelo sacrílego da Comunhão na mão

Ver O Milagre das Hóstias rta

O Divórcio

O único casamento válido aos olhos de Deus, é o do Sacramento da Igreja Católica. Como tal é indissolúvel, não havendo a possibilidade de divórcio.

Para evitar casamentos nulos, só será concedido o Sacramento do Matrimónio depois de período adequado de namoro e de acompanhamento da Igreja, quando os dois namorados quiserem e tiverem idade para viverem uma vida a Três, ou seja, o casal e Deus. Dada a imaturidade dos namorados, poderá e deverá a Igreja negar o Sacramento do Matrimónio, evitando assim casamentos nulos.

Aos actuais divorciados pelo civil, mas casados pela Igreja Católica, que se convertam a uma verdadeira vida Cristã, poderá, segundo juízo rápido da Igreja, ser avaliada a possibilidade de ter sido nulo o seu casamento pela Igreja, e assim voltarem a casar pela Igreja Católica, refazendo a sua vida sacramental, aos olhos de Deus e da sociedade.

A Homossexualidade e a Sida

A homossexualidade é pecado grave de impureza e contra a natureza, não permitido por Deus. Não poderá ser admitido ou aceite qualquer tipo de ligação homossexual, nem quaisquer manifestações pro-homossexuais.

A Homossexualidade não é doença ou fraqueza congénita, hormonal ou genética, mas sim, é vício pecaminoso da carne, que tem de ser superado com a Graça de Deus. Quem nela permanecer, está, na verdade, a caminho da perdição eterna.

1Coríntios 6,9-10

Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os ladrões herdarão o reino de Deus.

A Homossexualidade provém sempre de uma vida imoral e de falta de princípios na educação que tiveram na adolescência ou maturidade. A educação dentro dos princípios da Fé Católica, será o principal motor para o desaparecimento e erradicação da homossexualidade.

(16 Mar 2001-…) A Sida (Aids), um dos terríveis flagelos de que nos fala o Apocalipse e para o qual nos adverte a Virgem Maria através do Padre Gobbi, só poderá ser erradicada da face da Terra através de uma vida sexual sã e regrada pelos Mandamentos de Deus, dentro do Matrimónio Católico.

Apocalipse 16,2

2 O primeiro anjo foi derramar a sua taça na Terra. E apareceram chagas malignas e dolorosas nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a sua estátua.

Padre Gobbi 13 de Outubro de 1989

O Anjo do Primeiro flagelo

(…) Desceu sobre o mundo a hora da grande tribulação, porque os Anjos do Senhor foram enviados, com os seus flagelos, para castigarem a terra. (…)

Filhos predilectos, pensai na difusão destas doenças incuráveis em toda a parte do mundo e nas milhões de mortes que elas fazem.

O primeiro flagelo é a nova doença da SIDA, que fere sobretudo os meus pobres filhos vítimas da droga, dos vícios e dos pecados impuros contra a natureza. (…-16 Mar 2001) C

Os actuais homossexuais que se converterem a uma verdadeira vida Cristã, serão integrados com amor fraterno na comunidade eclesial. Os que persistirem no seu pecado, serão marginalizados até caírem em si e abandonarem a sua vida pecaminosa, tal como aconselha São Paulo. Esta marginalização, não será mais do que uma correcção fraterna.

1Coríntios 5,9-13

Na minha carta, escrevi-vos para não vos relacionardes com gente imoral. Não quis dizer que devíeis separar-vos dos imorais deste mundo, ou dos avarentos, ladrões e idólatras; se assim fosse teríeis que sair deste mundo! Não! Escrevi que não deveis associar-vos com alguém que traz o nome de irmão, e no entanto é imoral, avarento, idólatra, caluniador, beberrão ou ladrão. Com pessoas assim, não deveis nem sequer sentar-vos à mesa. Porventura, compete a mim julgar aqueles que estão fora? Não são os de dentro que deveis julgar? Deus é quem vai julgar os que estão fora. Afastai do meio de vós o homem mau.

A Pedofilia

A pedofilia é crime terrível e abominável, aos olhos de Deus e dos homens. Os seus praticantes terão de ser encarcerados em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

Todas as actividades ligadas à pedofilia, incluindo filmes e revistas com aquela prática relacionados, deverão ser igualmente tratados, tal como seus executores directos.

A pedofilia provém sempre de uma vida imoral e de falta de princípios na educação que tiveram na adolescência ou maturidade. A educação dentro dos princípios da Fé Católica, será o principal motor para o desaparecimento e erradicação deste terrível pecado e crime abominável.

A Prostituição

A prostituição, tal como a homossexualidade e a pedofilia, incluem-se nos pecados da carne, com que o diabo leva mais almas para o inferno. Como tal, deve ser desencorajada e proibida a sua existência.

Para ser evitada, deve ser dado todo o apoio às prostitutas, para abandonarem essa vida de perdição, sendo-lhes concedidas todas as condições imprescindíveis para reconstruírem as suas vidas dentro da moral Católica.

Serão considerados criminosos todos aqueles que fomentam e tiram proveitos da prostituição, e encarcerados em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

A Pornografia

A Pornografia é crime, pois induz muitos outros pecados graves, tal como a prostituição, a pedofilia e os pecados do sexo, que, conduzindo as pessoas por caminhos de pecado, vício e doenças mortais, os estão encaminhando para a perdição eterna.

Todos os meios de pornografia serão proibidos, e desmantelados todos os seus canais e veículos.

Serão considerados criminosos todos aqueles que fomentam e tiram proveitos da pornografia, e encarcerados em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

A Televisão e outros "medias" imorais

A televisão, a imagem da besta, a quem todos os povos adoram, tem sido o fórum preferido pelo demónio para passar os debates políticos, de todas as formações e de todas as ideologias, com discussão dos problemas que afligem a humanidade, nunca os conseguindo resolver. Porquê? Porque buscam as soluções onde elas não estão. Porque buscam as soluções com a sabedoria dos homens, que é loucura aos olhos de Deus. A Nova Televisão passará a ser o grande veículo da Cultura Cristã, da Doutrina e da Tradição de Jesus Cristo, da Nova Forma de olhar a Vida sobre o Planeta Terra.

Cerimónias religiosas, liturgias, notícias do avanço do Reino de Cristo sobre a Terra, serão o manancial veiculado por esse meio de comunicação poderoso, até agora dominado pelo demónio, e que passará a ser um dos meios de divulgação da Nova Cultura da Vida em Deus.

Em todas as televisões serão proibidos os programas imorais que transmitam quaisquer cenas que pais Católicos não pratiquem à frente de seus filhos e em família. Tudo o que ultrapasse o que pais decentes pratiquem em frente de seus filhos, deve ser considerado indecente e imoral para ser exibido publicamente através dos canais de televisão.

Programas violentos não mais serão exibidos.

Em todas as revistas será também proibido a exibição de fotografias indecentes, bem como artigos sobre temas que só deverão ser tratados a seu tempo dentro do seio da família, entre pais e filhos.

Todos os assuntos sobre a sexualidade passarão exclusivamente para o domínio da família.

A Droga

A droga não é doença, mas sim vício terrível e pecado grave, que conduz a outros tremendos pecados e crimes igualmente graves.

A sua génese está numa vida sem Deus e sem amor verdadeiro, que conduz a criatura à busca de seus substitutos através dos prazeres que conduzem à morte do corpo e da alma. Também, por parte dos produtores e traficantes, corresponde à busca ilícita de lucros avultados, também estes, fruto de uma falta de formação moral e Católica.

Todos os centros de produção de droga deverão passar para o controle temporário dos Governos dos povos. Mais tarde as culturas de drogas deverão ser substituídas por outras culturas, igualmente rentáveis para os que dela viviam mas não perniciosas para a saúde pública e das almas. O apoio a esta reconversão terá todo o apoio dos Governos dos povos.

A todos os drogados será concedido alojamento em clínicas próprias de cura e de transição para a recuperação de uma vida normal, sem qualquer custo. Serão acompanhados pelos seus entes queridos e família, à qual serão dados todos os meios necessários.

Duras medidas de repressão ao tráfico, e grandes apreensões serão levadas a cabo, revertendo toda a droga apreendida a favor das clínicas de reabilitação, onde durante a fase de cura, os drogados a poderão consumir, já em fase decrescente, sem dispêndio de dinheiro.

O tráfico de droga será considerado crime grave e todos os traficantes serão encarcerados em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

A Fome

A fome é consequência da má administração dos governos e da ineficiente distribuição da riqueza e dos recursos naturais.

Sendo a política virada para o bem da humanidade, e não para o lucro e domínio dos ricos e dos poderosos sobre os pobres e fracos, de imediato se alcançará uma boa redistribuição dos recursos alimentares por todos aqueles que sofrerem de carência.

Serão levantadas todas as restrições à produção de bens alimentares, e proibidas todas as cotas de produção.

Os orçamentos para armamento, serão canalizados para a produção agrícola e indústria alimentar.

A nenhuma criatura será negada a compra de bens alimentares por falta de dinheiro. Os bens alimentares terão o seu preço justo, não sendo permitida especulação.

A Guerra

Qualquer tipo de guerra é crime contra a humanidade e contra Deus. Para haver guerra é necessário haver dois contendores. Os bons, os mansos, não pegarão em armas. Os bons, os mansos, não se alistarão em exércitos. Armados para a guerra, só ficarão os maus, que a persistirem na guerra, se aniquilarão uns aos outros. Os bons, os mansos, não farão frente aos maus. Deus se encarregará de proteger os bons contra os ataques dos maus, vencendo-os na sua própria armadilha. Assim foi ao longo da história do povo escolhido, na fuga do Egipto para a Terra Prometida, e assim será também neste Fim dos Tempos.

A oração será a única arma a usar pelos filhos de Deus, muito em especial o Rosário da Virgem Maria.

A Corrupção

A corrupção, ou compra de favores ilegais, desaparecerá quando a busca do bem comum se sobrepuser ao do lucro individual. Os corruptores e os corrompidos serão de imediato destituídos de seus cargos, se persistirem nas suas tramóias.

A todos será dado o salário justo e necessário para uma vida feliz e digna, deixando pois de haver a necessidade de deitar mão à corrupção, para poder viver melhor, ou não passar necessidades.

O Desemprego

O desemprego na maioria das situações é derivado de medidas económicas que visam o lucro das empresas e dos empresários. Desaparecendo este objectivo de lucro e rentabilidade, desaparecerá o desemprego.

As modificações que se forem imprimir no trabalho feminino e infantil, vão ajudar rapidamente a desaparecer o desemprego.

Uma nova forma de trabalho irá se impor em todos os lugares, pois a ânsia de ajudar o próximo será maior do que a de ganhar ordenados para bem sobreviver, pois a todos será garantida a sobrevivência, de tal modo que nunca mais haja pobres ou necessitados.

A Criminalidade e a Insegurança

A criminalidade nasce do desemprego e da falta de solidariedade, de fraternidade, de caridade, de amor ao próximo.

Quando as consciências forem corrigidas, muitos daqueles que roubam por necessidade, deixà-lo-ão de fazer, porque passarão a ser ajudados pela comunidade e pelas suas famílias.

Sabemos que muita da criminalidade se faz por necessidades de sobrevivência, ou para a droga, ou pelo falso incutir de necessidades de consumismo. Desaparecendo estas causas, através da caridade praticada pela maioria esmagadora da sociedade, desaparecerão os efeitos.

Neste momento, a criminalidade é consentida pelos governos maçónicos que detêm o poder, para quando emergir o anticristo, poder ser ele a ficar com os louros, por através de medidas de coacção brutais, conquistar uma falsa paz e uma falsa vitória sobre o crime. Neste momento, a insegurança que vivemos, por o poder maçónico que controla o mundo não permitir a actuação das polícias e dos tribunais, visa criar um clima propício ao surgimento do anticristo, que se vai gabar de ter conseguido repor a ordem e a lei no mundo. Será no entanto uma falsa ordem, uma falsa lei e uma falsa paz.

A criminalidade infantil, com a redistribuição dos bens necessários para o bom desenvolvimento das pessoas, com a doação de casas dignas e ambientes exteriores agradáveis, farão naturalmente desaparecer a criminalidade infantil e juvenil.

A criminalidade será penalizada com base nos crimes cometidos, independentemente da idade do criminoso.

Àqueles que persistirem, que serão muito poucos, ter-se-à que conduzi-los a alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

Os acidentes de viação

Os acidentes de viação são muitas vezes consequência do stress e da pressa em que se vive. Desaparecendo o carácter concorrencial da vida profissional, desaparecerá a urgência de se chegar, passando de imediato a uma viagem sem pressa de se chegar, mas, sim, de se apreciar o passeio, de gozar a condução na companhia dos seus queridos.

Para aqueles que quiserem persistir na condução violenta e fora da lei, e por consistir em falta grave que pode acarretar a perda vidas inocentes, serão impostas acções adequadas.

A condução debaixo do efeito do álcool, será punida com a rescisão definitiva da licença de condução.

Os limites de velocidade ultrapassados serão punidos com a rescisão definitiva da licença de condução.

O incumprimento das regras de circulação no trânsito, será punido com a rescisão definitiva da licença de condução.

O Urbanismo descontrolado

O Urbanismo descontrolado é fruto do desejo desenfreado do lucro da exploração fundiária e imobiliária.

O Urbanismo tem sido feito para tentar resolver problemas gerados pela ganância e egoísmo das classes dominantes. Apesar de se dizer que pretende solucionar problemas, ainda encerra toda a má gestão do território, deixando através do desenho e da legislação dos Planos, a porta aberta à corrupção e à intervenção dos exploradores, urbanizadores e técnicos sem escrúpulos.

O Urbanismo tem de ser feito com o objectivo de proporcionar bom viver aos povos. Os Planos têm de ser feitos por técnicos competentes e bem formados do ponto de vista moral, e com o único objectivo de traçarem directrizes aos homens da liderança, para que eles levem aos povos o bem estar e uma vida digna e feliz. Os novos Urbanistas, serão homens empenhados na caridade e no serviço ao próximo.

O bem comum dever-se-à sobrepor sempre ao bem particular. O objectivo será sempre o do proporcionar uma vivência feliz, onde não terá lugar o lucro e a exploração. O negócio desaparecerá, dando lugar ao bem servir o povo.

Também desaparecerão as injustiças dos poderes locais imporem restrições injustas sobre a propriedade privada, pois cada um tem o direito de usar o que é seu. Se o bem comum exige restrições sobre propriedades privadas, os poderes locais não têm o direito o fazer contra a vontade dos proprietários. Ou os particulares o fazem de livre vontade, ou outras soluções terão de se encontrar, tais como justas expropriações baseadas em indemnizações justas e que compensem os actuais proprietários pelos ganhos que ainda poderiam ter. Eles terão que prestar contas a Deus. Mas não se tome pela força, mesmo que seja para alcançar o bem comum, aquilo que Deus permitiu chegar à posse de alguém.

Que ninguém se utilize do poder que lhe advém da sua liderança, para usar e ganhar em proveito próprio ou de amigos ou clans, aquilo que era de outrem.

Ninguém deve alimentar sonhos de enriquecer à custa de suas terras, sejam elas quais forem.

Os Bairros de lata e Bairros degradados

Haverá uma prioridade absoluta de acorrer com todas as obras necessárias para erradicação absoluta e urgente dos bairros de lata.

Incentivar-se-ão os habitantes desses bairros de lata e degradados a contribuírem com o seu próprio trabalho na recuperação dos seus bairros, sendo-lhes disponibilizado tudo o que necessitarem, desde materiais a terrenos circundantes, e mesmo terrenos noutros locais se quiserem mudar de sítio.

O sustento de todos, com dignidade, será assegurado a adultos, crianças e idosos.

A integração e a dignificação desses bairros degradados no tecido da cidade e do campo, dos quais têm vivido excluídos, será objectivo prioritário do governo dos povos.

As Discotecas e Boîtes

As discotecas e Boîtes serão transformadas em cafés, pastelarias e restaurantes de bairro, inofensivos, e de carácter de utilização familiar, bem como em centros de são convívio para os moradores da zona. Deixarão de funcionar à noite.

A música de carácter satânico, excitante do corpo e da mente, desaparecerá. Será também proibida naturalmente a sua produção e venda. Todas as empresas que se dedicavam à sua produção, serão reconvertidas em produtoras de música que enobreça o homem e que eleve o seu espírito para Deus. O mercado deste tipo de música será muito maior que o da anterior barulheira, e toda a gente sairá a ganhar com esta reconversão.

Desaparecerão as nefastas bebedeiras, as pancadarias, os crimes, as drogas, enfim, o mal será diminuto, por não ter palco onde se desenrolar.

As Forças militares e da ordem

Os exércitos serão compostos meramente por voluntários, em cuja mente só exista a vontade de servir o próximo, de amar e proteger as populações. Estes novos exército serão convertidos em forças da ordem interna do país.

Manter-se-à a Marinha, para servir no mar, defender os pescadores, e de não deixar passar aquilo que pode ser mau para o povo.

Não haverá agressão externa, e por isso não será necessário defender fronteiras.

A força aérea abandonará os aviões de combate e os armamentos mortíferos, os mísseis e outras bombas de destruição massiva.

Todas as anteriores forças militares serão fundidas numa única força de manutenção da Paz, da Ordem e da Concórdia.

A protecção do país, estará a cargo de Deus, e advirá da súplica de um povo que implora Paz e Amor ao seu Criador.

Os Quartéis

Todos os quartéis estarão de imediato disponíveis para acolhimento dos mais desprotegidos e necessitados.

Serão pontos de passagem de desalojados temporariamente.

Serão transformados em centros de apoio e de catequese a todos os que a eles acorrerem.

Os Presídios

Os actuais presídios serão transformados em alojamentos prisionais adequados, onde será ministrada uma catequese profunda e eficaz sobre o imenso Amor de Deus para com as Suas criaturas.

Deles serão soltos os convertidos ao Amor de Deus.

Neles se manterão os que não quiserem servir a Deus e amar o próximo, mas onde serão tratados com amor e caridade cristã, e em que tudo se fará para que também eles se virem para Deus e venham a salvar as suas almas.

Todos estes novos estabelecimentos prisionais serão remodelados, de tal maneira que os homens que lá ficarem, tenham uma vida digna e conducente a uma sincera e verdadeira conversão a Deus.

A Administração Pública

Todos os membros da nova administração pública serão remunerados dignamente, para se poderem libertar da corrupção, que por vezes é a forma que encontram para sobreviverem.

O objectivo dos que dela fizerem parte, será o de amar e servir o próximo.

As Migrações

As migrações de populações só serão permitidas, depois de garantidas as condições de boa habitabilidade nos locais de destino. Isto referir-se-à quer às migrações internas num País, quer externas, entre Países. As carências nesta fase de Transição devem ser tentadas suprir nos próprios locais em que surjam os problemas, salvo em condições de cataclismos que se irão generalizar por toda a Terra.

Os Migrantes deverão ser tratados com o maior carinho e amor pelas populações hospedeiras.

A Cooperação internacional

A entreajuda efectiva que haverá entre irmãos de um mesmo País, deverá haver entre os diferentes Países, ente os ricos e os pobres, entre os poderosos e os fracos.

Se tomarmos consciência de que , mesmo de costas voltadas para Deus, o velho Planeta Terra ainda tem recursos mais do que suficientes para alimentar toda a humanidade e lhe dar um bom nível de vida, quanto mais quando toda a humanidade se voltar para Deus. Já foi prometido por Jesus à J.N.S.R., de que nunca nada faltará àquele que repartir o que tem com os seus irmãos. Bens e riquezas de toda a ordem, à face da Terra, existem, estão é mal repartidos. Por isso, a Nova Política Mundial, será de repartir essa imensa dádiva de Deus, com espírito de Amor ao Próximo por Amor a Deus. A Verdadeira Caridade será o motor de toda a actividade humana, tal com Jesus a pregou.

O Trabalho feminino e infantil

Se o mundo está no estado lastimável em que se encontra, muito é devido ao facto de as mulheres terem abandonado a educação dos filhos a terceiros. A educação das crianças deve andar de braço dado com o carinho e amor que lhes tem que ser dado. Essa tarefa só é verdadeiramente executada com êxito garantido, pelas mães.

Por esta razão, as mulheres tem de se dedicar novamente à Educação dos seus filhos, e com eles fazerem a caminhada do seu desenvolvimento e descoberta da vida e do mundo que as rodeia.

O facto de as mulheres abandonarem as suas vidas profissionais, que as afasta do lar e as mantém longe dos filhos, irá ter um efeito enorme no desemprego, na coesão das famílias, na moralização das relações sociais, na pureza e moral das crianças e adolescentes, na melhoria das condições de vida de todo o povo de Deus.

As mulheres quando se voltarem de novo para Deus, naturalmente redescobrirão esta seu novo meio de vida, nele se reencontrarão e se tornarão felizes, por redescobrirem que essa é a Vontade de Deus.

A mulher não é igual ao homem, nem nunca foi, nem nunca será. Homem e Mulher foram feitos diferentes por Deus. O Diabo, é que os quis tornar iguais, para a ambos, igualmente, levar à condenação Eterna.

A Mulher, tal como o Homem, têm diferentes papeis, mas igualmente importantes a desempenhar, e ambos os devem desempenhar, tal como foi a Vontade de Deus, quando os criou.

Homem e Mulher só são iguais em direitos, os que dizem respeito à sua Salvação Eterna. De resto, em tudo são diferentes. Só prega o contrário desta Verdade de Sempre, o Rebelde, aquele que se rebelou contra Deus, e que desde então só pretende condenar almas, levando Homens e Mulheres a se rebelarem contra o seu Criador. O rebelde, o demónio, satanás, é o único que tem a ganhar com o espírito de rebelião que semeia na humanidade. Fazendo crer que homens e mulheres são iguais, afasta-os do Plano que Deus tem para cada uma das Suas Criaturas, e assim, fá-las perderem-se para a Vida Eterna.

As crianças estarão afastadas em absoluto do trabalho profissional e empresarial.

Este assunto está mais amplamente tratado no GPS.

CVIII14 - O movimento feminista é de inspiração diabólica

A Saúde e a Assistência Social

Voltando a uma vida sã, muitas das doenças desaparecerão. A oração e o dom de cura dado aos Sacerdotes, serão novo remédio para muitas doenças.

A Saúde será um Serviço gratuito para o todo Povo de Deus.

A Assistência Social será Caridade e Amor Fraterno, dado por todos a todos.

O Ensino

O Ensino deixará de ser obrigatório e concorrencial, com notas e números clausos, mas será um bem desejado por todos. O que se passará a ensinar, será em primeiro lugar, como Amar e Servir a Deus e ao Próximo.

A matéria fulcral em todo o Estudo serão sempre as Sagradas Escrituras.

Os professores, serão as mães, e os pais que se quiserem associar, em pequenos núcleos escolares, com carácter de vizinhança.

O próprio Céu descerá à Terra, para vir auxiliar o Povo e a Igreja de Deus.

Só se ensinará o que elevar o Homem para Deus.

As Graças descidas dos Céus, serão tantas, por o Povo se ter voltado para o seu Criador, que a necessidade imperativa de sobreviver com uma técnica ao serviço do dinheiro, do poder e do prazer, deixará de existir, pois em substituição do apoio diabólico prestado ao avanço desordenado e maléfico da técnica e da ciência, virá A Sabedoria Divina suprir todas as carências do desenvolvimento, evolução e santificação do Homem.

A vã sabedoria dos homens, que é loucura aos olhos de Deus, será substituída pela Gloriosa Sabedoria Divina, que passará a ser a Mestra e Rainha de todas as coisas.

 

O Desporto

O Desporto deixará de ser aquilo em que nunca devia se ter transformado: Profissão de mercenários em busca de glória e dinheiro.

O Desporto voltará a ser o que sempre devia ter sido: Actividade amadora e meio para cultivar o corpo e a alma.

O Desporto voltará a ser elemento de união entre as pessoas, e não de divisão.

Voltarão a ter alguma notoriedade, os desportistas, e não os dirigentes dos clubes, actuais chulos do desporto profissional. A palavra, a imagem e o tempo, serão devolvidas aos desportistas, que deixarão de fazer carreira profissional, deixarão de ganhar os seus ordenados imorais, e voltarão a ser criaturas normais, não ídolos, voltadas para Deus e para o próximo.

O Desporto voltará a ser praticado para bem da saúde, para lazer, manutenção do bom estado físico e para a aproximação, união e confraternização das pessoas. Os vencedores nas novas competições receberão como prémio, a alegria de terem ganho. Os vencidos, serão merecedores do pódio, por terem com galhardia e valor se dedicado ao despique fraterno e salutar. A violência e brutalidade serão por completo banidos dos desportos. Os desportos de luta e combate, farão só parte da triste memória de uma época em que o homem se guerreava.

O Dinheiro

O Dinheiro é um mal que se vai extinguir nos Novos Céus e Nova Terra, e como tal deve ser tratado como um mal passageiro que a curto prazo se vai tornar obsoleto.

Dinheiro existe em demasia, só que está mal distribuído. A maioria do dinheiro está encerrado nas mãos erradas, naquelas mãos que não o querem distribuir por aquelas que nada têm. Se houver amor e solidariedade, é natural e justo que passe para as mãos daqueles que sabem dividi-lo por aqueles que necessitam e não o têm. Só assim, poderão ser felizes, ambos, ricos e pobres, pois os ricos não conseguiriam gastar tudo o que têm, e os pobres, conseguirão finalmente usar aquilo que nunca tiveram.

O dinheiro nesta fase de transição deve fluir livremente das mãos daqueles que mesmo que o queiram esbanjar, não conseguirão, porque tanto, que não terão capacidade para o gastar. As conversões serão tantas, mesmo nos ricos, que naturalmente o dinheiro fluirá para os mais pobres.

Os Governos dos povos serão gestores das imensas fortunas existentes, e que estão paradas, deixando que muitos morram de fome.

Quando o dinheiro faltar aqui, ir-se-à buscar acolá. Mas as contabilidades poder-se-ão manter, até o seu desaparecimento definitivo, quando for a implantação do Reino de Cristo sobre toda a Terra e toda a Criatura.

 

Todas estas medidas que acabei de expor para os Grandes Problemas da Humanidade e das sociedades, têm de ser entendidas como manifestações da lei Divina dentro do quadro da Actuação Humana e Temporal, na Transição para os Novos Céus e Nova Terra.

 

  Capítulo VI - Os Novos Céus e Nova Terra

Aquele que permanecer fiel até o fim, será salvo.

Aqueles que de entre nós vierem a morrer nesta fase de Transição para os Novos Céus e Nova Terra, mantendo-se fieis a Deus, irão para o Paraíso Celeste. Aqueles que permanecerem vivos, passarão para o, desde sempre, prometido Novo Paraíso Terrestre, ou seja, os Novos Céus e Nova Terra.

Os Novos Céus e Nova Terra, serão o Paraíso Terrestre reconstruído, em que estará implantado o Reino de Jesus Cristo, um Reino de Amor, Paz, Justiça e Felicidade.

Este tema foi largamente exposto no GPS, e é grande motivo de incentivo para a nossa mudança de vida.

CAPÍTULO X - Os Novos Céus e Nova Terra - Novo Paraíso Terrestre no

http://www.amen-etm.org/OsGrandesProblemasdaHumanidade.htm