O USO DA PSICOLOGIA

 

Olho de Deus

 

 

 

BÊNÇÃO ESPECIAL  

 

Editorial do dia 8 de Março de 2015  

 

Image6

Nesta Página da Amen, pode encontrar a abordagem do Tema Global sobre

O USO DA PSICOLOGIA  

 

ÍNDICE 

 O que é a Psicologia

 O uso da Psicologia

 Conclusão

 

 

 O que é a Psicologia

A Psicologia é um ramo da ciência que estuda as funções mentais e o comportamento dos seres vivos.

A Psicologia enquanto ciência, limita-se ao estudo destas funções e comportamentos estritamente na área material ou corporal.

Acontece que o Homem é constituído, para além do Corpo, também por uma Alma, que o mantém vivo, e também pelo Espírito.

Na verdade, esta área mental da existência humana esta intimamente ligada ao Espírito. Por sua vez, este Espírito mantém fortes relações com Deus e encontra-se sob forte pressão dos anjos caídos, ou demónios, que insistente e incansavelmente tentam nele ter influência, para levar os homens à perdição eterna.

A Psicologia, enquanto ciência, como não encontra na ponta do seu bisturi o Espírito, nem Deus seu Criador, não entra em ordem de conta com esta porção fundamental das funções mentais e comportamentais.do ser humano. Assim, operando na existência meramente material e corporal, escapa-lhe a principal parte do ser humano, agindo de uma forma parcial sobre o todo do ser humano. Assim sendo, as suas análises e os seus métodos pecam inevitavelmente por insuficiência quantitativa e qualitativa de área em estudo e de intervenção.

Para abarcar todo o ser humano, é imperioso ir além da ciência e entrar no campo da , que nos leva ao entendimento global e verdadeiro do ser humano, nas suas relações com o que o rodeia, mas também, e principalmente, com Deus e os demónios. Sim, porque o homem, enquanto Criatura, encontra-se durante toda a sua vida terrena entre estes dois polos - Deus e o diabo. Só tendo consciência desta trilogia, se consegue abarcar a totalidade do ser humano, a sua existência, as suas tendências, as suas ambições e o seu destino.

 

 O uso da Psicologia

O uso da Psicologia pura e científica, pode ter um certo interesse para traçar perfis psicológicos nas áreas policiais e outras, mas será sempre uma instrumento limitado na sua área de intervenção. Limitar-se-á sempre a uma tentativa de compreensão do ser humano amputado da sua principal característica fundamental, que o distingue de todos os outros seres animais, que é possuir um Espírito, criado à imagem e semelhança de Deus.

Infelizmente, vivemos num mundo maioritariamente ateu ou agnóstico, materialista e afastado da Religião e do seu Criador. Aqui reside a razão, de sempre que acontecem acidentes mortais ou muito graves, são chamadas equipes de psicólogos para dar assistência psicológica às vítimas. Esta assistência psicológica é, pela sua própria natureza, sempre altamente ineficaz e não vai à raiz dos problemas que tenta ajudar a resolver, e quando aparentemente o consegue, é sempre de uma forma superficial e temporária, porque não desce nunca ao âmago do ser humano, não auxilia o homem na sua dimensão espiritual e na sua relação com Deus e com a Vida Eterna.

Em situações de acidentes mortais ou muito graves, em situações de catástrofes, deviam ser chamadas equipes de directores espirituais Católicos, Sacerdotes, porque esses sim, abarcam a totalidade do ser humano - Corpo, Alma e Espírito.

Este tremendo erro operacional das nossa actuais sociedades, é um erro largamente fomentado pelas forças infernais, que tentam por todos os meios afastar o homem do seu Criador - Deus, e dos Seus Anjos e Santos.

Felizmente, quando um psicólogo intervém no exercício da sua profissão, não age só com base no que aprendeu da universidade, mas também faz uso da sua própria bagagem, da sua experiência de vida e do que aprendeu de relacionamentos humanos no seu quotidiano. Por isso, há bons psicólogos e maus psicólogos, pois mesmo tendo estudado todos pela mesma cartilha na universidade, juntam, a esse seu saber académico, a sua bagagem intelectual e espiritual. É por isso que, em situações semelhantes, o desempenho e os resultados, de diferentes psicólogos não serão os mesmos.

Pode-se assim perceber, que quer a Psicologia quer o seu uso, são fortemente influenciados pelo demónio, que tenta a todo o custo generalizar a sua utilização, para mais facilmente levar os homens ao afastamento de Deus e à sua própria condenação eterna.

Se a Psicologia é, pela sua própria natureza, uma ferramenta limitada e com grandes insuficiências, ainda mais perigosa se torna a forma como é usada.

 

 Conclusão

Nesta visão da vida, baseada nos Ensinamentos Divinos e nos da Igreja Católica, podemos ver que a Psicologia foi desde o seu princípio de inspiração diabólica, e foi sugerida e fomentada pelas forças infernais, para com laivos científicos, enganar e levar os homens à perdição eterna, ao Inferno.

Mas não está tudo perdido para os que se formaram em Psicologia, pois como referi acima, eles na sua profissão actuam, em conjunto com os seus dotes académicos, acrescidos da sua bagagem intelectual e espiritual. E é aqui que podem fazer a diferença. Podem sobrepor a sua bagagem intelectual e religiosa às práticas de índole meramente académicas.

Se o Psicólogo juntar à sua formação académica e laica, os seus conhecimentos da Religião Católica, a sua Fé e o seu Amor a Deus e ao próximo, pode, e deve, agir como um agente apostólico infiltrado nas hostes inimigas!

Quem como Deus?!!!

Dossier dedicado à Giselle.

www.amen-etm.org/Psicologia.htm  

 

http://www.amen-etm.org/ExercitoTerrestredeMaria_ficheiros/image007.jpg